Brasileira conta experiências e desafios ao mudar-se para a Holanda por amor

Gabi Lodewijks conta como foi seu processo de adaptação na Europa, sua experiência pessoal ao mudar-se para o país para viver um grande amor e aponta as diferenças na cultura holandesa, mais igualitária entre os gêneros e aberta em relação a realidade brasileira

O amor é o sentimento mais nobre que existe e a mola motriz de grande parte das maiores decisões tomadas pela humanidade ao longo das eras. A mulher, conhecida por ser mais ligada ao coração e a ter uma inteligência emocional mais apurada que o homem, transborda emoção ao longo da vida e faz loucuras pelo verdadeiro amor, pois acredita.
Gabi Lodewijks é uma brasileira, natural do Rio Grande do Sul, que mudou-se para a Holanda para viver um grande amor. Para isso ela deixou seu trabalho que desenvolvia no Brasil e aceitou o desafio de ir para a Europa com o marido: “Me mudei para a Holanda por amor. No Brasil trabalhava com recursos humanos e tinha minha própria agência de recrutamento e seleção, onde trabalhava 7 dias por semana. Em parceria com ONGs, ajudava mulheres de comunidades mais carentes a se inserir no mercado de trabalho e amava o meu trabalho. Meu esposo, na época meu namorado, estava no Brasil há pouco tempo e resolveu investir por lá. Depois de 2 anos e meio ele decidiu voltar para a Holanda por questões de adaptação e cultura. Eu nao pensei duas vezes e decidi que viria também”.
Apesar da bela história que parecia ser um conto de fadas da vida real, Gabi Lodewijks revela que não foi fácil a adaptação: “No inicio pensei que logo arranjaria emprego na área de RH. Recebi mais de 50 nãos! Me sentia fracassada, frustrada e em duvida se tinha mesmo tomado a decisão certa. Me sentia excluída por ser estrangeira, por nao falar a língua. Meu sogro, duvidando de mim, disse que queria ver dois diplomas em um ano. Adoro desafios! Um ano após minha chegada, tinha meu primeiro diploma de holandês e minha carteira de motorista. Meu sogro se surpreendeu. E eu continuei estudando ate falar a língua fluente”.
Gabi relata que o amor e o apoio recebido do esposo foram fundamentais para conseguir se adaptar à nova realidade na Holanda e aponta paralelos entre a cultura dos dois países: “Me sentia mal estando em casa sem conseguir um emprego, mas meu esposo nunca se importou com isso, pois achava mais importante eu cuidar da nossa filha. Aqui na Holanda a cultura é totalmente diferente, mais igualitária entre os gêneros e os homens ajudam muito em casa. Aqui tem o ‘dia do pai’, que significa um dia na semana os homens cuidam da casa e dos filhos”.
Comparado com o Brasil, Gabi Lodewijks percebe que existe uma cultura de igualdade de gênero muito maior na Holanda: “sinto que aqui na Holanda não há tanta diferença salarial entre homens e mulheres. Muitos homens fazem também serviços em casa como cozinhar, limpar, fazer compras. Aqui em casa todo final de semana meu esposo faz compras junto comigo, me ajuda com as crianças. Finais de semana quem cozinha é ele ou fazemos isso juntos. A cultura aqui e muito mais respeitadora em relação às mulheres e me sinto muito bem aqui. Os brasileiros são mais ciumentos que os holandeses, nao generalizando claro”.
Para Gabi, existe na Holanda uma independência feminina maior, que vem naturalmente: “Vejo as holandesas mais independentes aqui. Elas começam a trabalhar cedo, saem cedo de casa para estudar. Muitos aqui vão morar juntos onde dividem as contas e ficam anos juntos mesmo sem casar. Casar aqui nao é prioridade. Nao digo que seja um país perfeito, nenhum ‘e, mas e um país onde eu sendo mulher me sinto mais segura nas ruas e nao me sinto julgada por ser mulher estrangeira como em outros países da Europa.
Hoje Gabi se reinventou, mudou sua vida completamente, tornou-se coach nutricional e atende clientes em todo o mundo através de seu programa online Vida Saudável e presencialmente no seu consultório na Holanda: “Conquistei meu espaço aqui entre altos e baixos, me adaptei a cultura e costumes e me sinto totalmente em casa. Amadureci muito vindo pra cá e hoje a Holanda é minha casa”.
Fonte: Por: Hebert Neri | Fotos de:  Vivan Costa / MF Press Global 
 

Kátya Elpydio5351 Posts

Criei o Borimbora com o objetivo fundamental de fazer com que você esteja sempre à frente do seu tempo no que diz respeito à comunicação na sua totalidade. Nenhum de nós é TÃO BOM quanto todos nós JUNTOS!

Login

Bem vinda! Entre na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password