Filósofo aponta qual a ligação entre a morte de Ricardo Boechat, Brumadinho e o CT do Flamengo

Filósofo Fabiano de Abreu compara os incidentes recentes no Brasil e as providências que deveriam ser tomadas com o pensamento e modo de gestão de tragédias na Europa e aponta as tragédias como alerta ao Brasil.
O ano de 2019 no Brasil começou com tragédias tristes que chocaram a população. Todos os dias os jornais destacam inúmeras notícias de violência e mortes acidentais e trágicas de pessoas, tanto públicas como cidadãos comuns. Sabemos da insegurança no país, por isso, muitos saíram do Brasil devido ao caos da segurança pública, e isto não se refere apenas a violência, mas também ao descaso.
 
Não foram as notícias de violência que destacaram-se no início do ano no Brasil e sim de tragédias, mortes em acidentes que estarreceram o mundo. O filósofo e pesquisador Fabiano de Abreu, que passa a maior parte do seu tempo em Portugal, acredita que essas tragédias devem ser responsabilizadas e não tratadas como causas naturais.
 
“Aqui na Europa, toda tragédia, seja ela natural ou não, tem um culpado até que se prove o contrário. Os incêndios em Portugal por exemplo já encontraram culpados e está para sair uma lei que proíbe plantação de eucaliptos. Ou seja, eles preferem mexer com a economia mas não colocar em risco a vida humana. O valor da vida humana aqui é algo extraordinário. Uma morte é repercussão em todo o continente e sempre tem que haver uma culpa e uma maneira de evitar. Não podemos encarar com naturalidade um helicóptero cair ou um Centro de Treinamento pegar fogo, nem tampouco por a culpa nas chuvas quando elas vem com intensidade e uma cidade como o Rio de Janeiro, que já foi capital do país, ir abaixo com vítimas fatais”. 
 
O filósofo também opina sobre a responsabilidade em tragédias recentes no Brasil: “Para mim, isso é resultado de um país em que os serviços de prevenção e fiscalização são precários.Tudo isso é resultado da precariedade nos serviços de prevenção e fiscalização no Brasil. Os acontecimentos recentes mais uma vez mostram que é preciso fazermos alguma coisa. Tem que servir de alerta. A fiscalização dos serviços precisa ser mais rigorosa. Não podemos assistir as pessoas morrendo e as coisas acontecendo e ficar conformados. Isso precisa mudar. A morte de Ricardo Boechat precisa ser investigada, assim como todas as tragédias que ocorreram. Nada pode ficar impune”. 
 
Fabiano acredita que tudo isto tem de servir como alerta para evitar novos desastres: “Na rede social vi diversas frases perguntando o que está acontecendo com o Brasil em 2019 com tantas tragédias. Em pouco menos de duas semanas aconteceram tragédias em série: o helicóptero do jornalista Ricardo Boechat caiu, CT do Flamengo pegou fogo e matou dez pessoas, chuvas no Rio de Janeiro arrasam a cidade e deixam vítimas fatais e a barragem em Brumadinho arrebentou. É como se uma nuvem negra estivesse sobre o Brasil. Mas pior que isso, as providencias não estão sendo tomadas. E isso me traz o receio de que pode acontecer de tudo no Brasil, e ninguém vai se importar em investigar e impedir novas tragédias. A violência não é só cometida por bandidos, mas por governos que não se preocupam com a vida humana e não procuram precaver tragédias.”
Fonte: Créditos – Foto: Divulgação / MF Press Global |Por: Vanessa Scarcella
 

Kátya Elpydio5300 Posts

Criei o Borimbora com o objetivo fundamental de fazer com que você esteja sempre à frente do seu tempo no que diz respeito à comunicação na sua totalidade. Nenhum de nós é TÃO BOM quanto todos nós JUNTOS!

Login

Bem vinda! Entre na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password