Ausência de sintomas e falta de tratamento podem elevar grau de complexidade das varizes, explica angiologista

Passar o dia em pé no trabalho, enfrentar fila do supermercado, estar acima do peso… para muita gente essas são situações extremamente comuns no seu dia a dia. Porém, para 70% dos brasileiros – em idade adulta – tais condições podem ter ajudado no surgimento de varizes.

A doença, muitas vezes assintomática, com queixas puramente estéticas, pode evoluir para um quadro mais complicado. É o que explica a angiologista, Dinani Armstrong. Segundo a doutora, por ser comum entre as pessoas, a patologia não recebe tratamento adequado, provocando assim sintomas como sensação de peso nos membros inferiores, inchaço, queimação, dor, e em casos mais graves, úlceras.

“Essas queixas pioram no fim do dia, após o paciente ter permanecido em pé por um longo período. Mas vale destacar que a incidência é maior naqueles que têm histórico familiar e levam uma vida de sedentarismo”, disse Dinani, que atende no Instituto do Coração do Vale do São Francisco (Cardiovasf) e é professora de Semiologia Médica e Cirurgia Vascular da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf).

Tendo grande impacto na qualidade de vida, as varizes provocam ainda a diminuição da autoestima do paciente. Segundo a angiologista, existe uma tendência de piora da doença com o avançar da idade e não há cura para o problema, por isso é importante o tratamento.

“Além da cirurgia, existem técnicas minimamente invasivas e que podem controlar a doença, como a técnica da espuma”. Ela continua: “A escolha do tratamento vai depender de vários fatores, dentre eles, dos tipos de veias a serem tratadas e da preferência do paciente, mas com certeza haverá uma melhora de saúde”, afirma Dinani.

No Vale do São Francisco, esses tratamentos existem em Juazeiro (BA) e Petrolina (PE). A Cardiovasf, que é referência nas áreas de Cardiologia e Angiologia, disponibiliza todo o procedimento clínico: consultas, exames de ultrassonografia vascular, cirurgia de varizes, escleroterapia com espuma guiada por ultrassom, além da escleroterapia convencional. “Já atendíamos em Petrolina, mas agora com a inauguração da nova unidade em Juazeiro a tendência é ampliarmos os tratamentos”, conclui.

Recém inaugurada na cidade baiana, a Cardiovasf Juazeiro está situada na Rua do Paraíso, nº 230, no Instituto Valler (bairro Santo Antônio). Já em Petrolina, a unidade fica na Rua Pacífico da Luz, nº 850, no centro.

Mais informações podem ser adquiridas através dos telefones (74) 3611.7282 (87) 3861.2946/ 9 8838.0572 ou pelos e-mails: cardiovasf.juazeiro@cardiovasf.com.br e administrativo@cardiovasf.com.br.

 

Kátya Elpydio5066 Posts

Criei o Borimbora com o objetivo fundamental de fazer com que você esteja sempre à frente do seu tempo no que diz respeito à comunicação na sua totalidade. Nenhum de nós é TÃO BOM quanto todos nós JUNTOS!

0 comentários

Deixe um comentário

Login

Bem vinda! Entre na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password