7 campanhas derrubadas ou alteradas pelo consumidor

Na última quarta-feira (5), a Pepsi decidiu tirar do ar uma propaganda protagonizada pela socialite Kendall Jenner. O comercial foi alvo de protestos de consumidores e ativistas. O argumento dos críticos é que o filme banaliza casos recentes de protestos nas ruas pelos Estados Unidos, após mortes de homens negros desarmados e adolescentes por parte de policiais. Em comunicado, a marca pediu desculpas e disse que não tinha intenção de minimizar qualquer assunto desta seriedade.

Com as redes sociais e diversos canais e recursos de interação, o consumidor nunca esteve tão empoderado para contestar e até derrubar peças e trabalhos de comunicação não os agradam por algum motivo. Confira abaixo algumas campanhas que foram retiradas do ar ou tiveram que ser alteradas por algum motivo:

Não desceu redondo
Um dos casos mais emblemáticos neste assunto diz respeito à Skol. Criada para o Carnaval de 2015, uma campanha da marca espalhou outdoors pela cidade com frases dúbias como “Esqueci o não em casa” e “Topo antes de saber a pergunta”, ambas acusadas de incentivarem o assédio. Quem está acompanhando o reposicionamento da marca nas últimas campanhas sabe o quanto esse fato contribuiu para uma mudança de postura da empresa desde então.

Gente boa também mata?
Após uma enxurrada de críticas através das redes sociais e debates entre profissionais da área, a Secretaria Especial de Comunicação da Presidência da República (Secom) determinou a retirada dos cartazes da campanha “Gente boa também mata”, que foram distribuídos em mobiliários urbanos de várias cidades do País no começo do ano.

#SemMimimi
A campanha #SemMimimi, do analgésico Novalfem (laboratório Sanofi), causou polêmica em 2015. Muita gente entendeu que a marca empregou o termo “mimimi” como uma possível “frescura” com relação às sensações da mulher durante o período pré-menstrual. Algum tempo depois, a Novalfem informou, através de seu Facebook, que tiraria a campanha do ar em respeito às pessoas que se manifestaram contra a ação.

Dor de cabeça
A peça “.Mov”, criada pela Almap para Aspirina, foi acusada de ter cunho sexista e fazer referência ao vazamento de conteúdos íntimos sem consentimento, prática conhecida como “revenge porn” (“pornografia de vingança”, em tradução do inglês). A polêmica fez com que a agência abrisse mão de dois Leões de Bronze conquistados pela campanha no Cannes Lions.

“Eu sou feliz sendo prostituta”
O dia 2 de junho ficou instituído como o Dia Internacional das Prostitutas. Aproveitando a oportunidade, o Ministério da Saúde lançou nas redes sociais uma campanha para promover o uso da camisinha e o respeito a todas as pessoas que viraram profissionais do sexo. Mas o viés da comunicação não agradou ao público.

Animais que pedem para morrer
No ano passado, a Toyota tirou do ar a campanha que apresentava a Hilux 2016. O comercial trazia animais pedindo para serem mortos, apenas para serem transportados pelo carro. A marca sofreu pressão de todos os lados e precisou se retratar.

 

Kátya Elpydio5536 Posts

Criei o Borimbora com o objetivo fundamental de fazer com que você esteja sempre à frente do seu tempo no que diz respeito à comunicação na sua totalidade. Nenhum de nós é TÃO BOM quanto todos nós JUNTOS!

0 comentários

Deixe um comentário

Login

Bem vinda! Entre na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password