Prêmio Trip Transformadores completa dez anos e homenageia personalidades como Berna Reale, Estela Renner e Taís Araújo em cerimônia no Auditório Ibirapuera

Completando uma década, a iniciativa se tornou mais do que um prêmio e vai além, atuando como agente e movimento transformador 

– Na noite de 8 de novembro, terça-feira, acontece, no Auditório Ibirapuera, em São Paulo, a entrega do Prêmio Trip Transformadores, que reunirá convidados especiais e homenageados para celebrar uma forma mais altruísta e contemporânea de enxergar o mundo ao nosso redor. Em 2016, a iniciativa chega à sua 10ª edição e, no decorrer desses anos, mais de cem personalidades selecionadas criteriosamente foram homenageadas por suas histórias inspiradoras. O processo de seleção acontece por meio de um conselho consultivo composto por centenas de pessoas notáveis, que se destacam em suas áreas de atuação e cujos valores, modo de vida e ideias são totalmente alinhados aos da Trip.

Ao longo de 2016 a iniciativa já reuniu pessoas que se identificam com os preceitos do Prêmio Trip Transformadores em dois eventos. O primeiro, que aconteceu no Museu de Arte de São Paulo, no mês de agosto, contou com a presença de alguns dos homenageados que falaram sobre arte, saúde e o sistema judiciário no Brasil. Em seguida, no mês de outubro, foi a vez do Planetário do Ibirapuera receber a Batalha das Estrelas, na qual CEOs das mais variadas áreas de atuação promoveram uma reflexão original sobre o futuro e os riscos das grandes corporações nos próximos dez anos e as mudanças no mundo e no mercado que afetam direta e profundamente as relações entre pessoas e trabalho.

Agora, contudo, é a vez da grande noite em que os homenageados ganham um reconhecimento definitivo em suas trajetórias tão especiais.

São eles: o fotógrafo German Lorca, a artista visual Berna Reale, o ativista Hans Dieter Temp, a cineasta Estela Renner, a médica e pesquisadora que descobriu a ligação entre o zika vírus e a microcefalia Adriana Melo, a atriz que travou uma batalha não apenas em seu nome, mas sim pela população negra que sofre preconceito racial no Brasil Taís Araújo; o atleta e ex-modelo que mudou radicalmente a forma de encarar a vida após um acidente Fernando Fernandes; a dupla da Vox Capital, empresa especializada em investimentos de impacto social no Brasil, Daniel Izzo e Antonio Moraes Neto; o escritor Luiz Alberto Mendes e a auditora que luta contra o trabalho escravo no Brasil Marinalva Dantas.

Para este encontro, a Trip contará novamente com o ator e mestre de cerimônias Lee Taylor (que este ano alcançou enorme sucesso como o Martim da novela Velho Chico) na condução da noite. Cada troféu será entregue por convidados especiais como a jornalista e apresentadora do programa Metrópolis Adriana Couto, o cineasta e sócio-diretor da Academia de Filmes Tadeu Jungle, o chef Érick Jacquin, entre outras personalidades. Patrocinadores do evento, como Artur Grymbaum,presidente do Grupo Boticário, e Cláudia Lorenzo, vice-presidente de Relações Coorporativas da Coca-Cola Brasil, entre outros parceiros da editora, também estarão presentes nesse importante momento da cerimônia.

A direção artística ficará por conta de uma das mentes mais inquietas do Brasil, o renomado multiartista, curador e designer de museus Marcello Dantas. A promessa é de muitas surpresas musicais no palco do Auditório Ibirapuera, com apresentação especial de artistas convidados. Entre os nomes já confirmados estão a maior cantora brasileira de Jazz, Leny Andrade, a cantora, percursionista e pesquisadora da cultura africana, Nãnan Matos; a CIA BASE, conhecida por suas apresentações verticais em espaços urbanos não convencionais, além de uma apresentação de um convidado surpresa que promete emocionar o público presente.

Poema Mühlenberg – designer, cofundadora, produtora e bailarina acrobata da Cia Nós No Bambu – assina a concepção, direção, cenografia e coreografia que será apresentada pelas bailarinas da CIA BASE. Para acompanhar a performance da dança, o percursionista Alexandre Lora compôs uma trilha exclusiva usando o instrumento hand pan.

O prêmio conta com o patrocínio máster do Grupo Boticário, além dos copatrocinadores Coca-Cola Brasil, Ben & Jerry’s, Santander e Volkswagen. O projeto também é apoiado por Academia de Filmes e AlmapBBDO, GOL Linhas Aéreas Inteligentes e Suzano Papel e Celulose.

Para conhecer mais sobre o Trip Transformadores, acesse: www.trip.com.br/transformadores.

Prêmio Trip Transformadores no Auditório Ibirapuera
Data: 8 de novembro de 2016, às 20 h
Local: Auditório Ibirapuera
Patrocínio máster: Grupo Boticário
Copatrocínio: Coca-Cola Brasil, Ben & Jerry’s, Santander e Volkswagen
Apoio: Academia de Filmes e AlmapBBDO, GOL Linhas Aéreas Inteligentes e Suzano Papel e Celulose
Parceiros de mídia: Agência Lema, Update or Die e Rádio Eldorado FM  

Trip Editora

A Trip Editora é considerada uma das principais empresas de estratégia via conteúdo no Brasil. Fundada em 1986 para o lançamento da revista Trip (apontada em 2012 como a terceira revista mensal de maior prestígio do Brasil, de acordo com pesquisa realizada pelo jornal Meio & Mensagem, e em 2013 como a mais inovadora publicação entre todas as revistas do país pelo mesmo painel), atua nas áreas de comunicação e construção de marcas e comunidades.

Hoje atuando fortemente no campo digital e nas chamadas novas mídias, a Trip administra redes sociais, produz sites, vídeos, conteúdos e aplicativos para tablets e smartphones, eventos interativos e programas semanais de rádio e TV. Na mídia impressa, a empresa publica cerca de 89 milhões de exemplares de revistas por ano, distribuídos entre os 12 títulos que edita: revista Trip, revista Tpm, Audi Magazine, revista GOL Linhas Aéreas Inteligentes, Revista Natura, Revista Consultoria Natura, Revista Personnalité (Itaú), revista Cidade (Grupo JHSF/Shopping Cidade Jardim), Revista FAAP, Revista +Balcão (Ambev), revista Nestlé Com Você e revista Atualidades (Nestlé).

Para outras informações, acesse: www.tripeditora.com.br 

Conheça aqui os homenageados do Prêmio Trip Transformadores 2016

A cearense Adriana Melo, pesquisadora, médica e servidora pública em Campina Grande (PB) que revelou a misteriosa relação entre o vírus zika e a má-formação do cérebro de milhares de crianças, doença conhecida como microcefalia. A pesquisa de Adriana foi fundamental para relacionar o zika – até então confundido com a dengue porque também é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti – com a má-formação dos fetos. O Ministério da Saúde confirmou mais de 1,5 mil casos de microcefalia no Brasil desde outubro de 2015. Hoje, ela busca captar financiamento privado para apoiar as pesquisas sobre a doença.

Berna Reale, artista visual paraense e considerada uma das mais importantes do cenário contemporâneo brasileiro, representou o Brasil na Bienal de Veneza de 2015. Berna também é perita criminal e no início deste ano denunciou um caso de agressão no Instituto de Criminalística de Belém que segue em investigação.

Estela Renner, cineasta, sócia-fundadora da Maria Farinha Filmes e mãe de três filhos tornou-se porta-voz das causas da infância e da adolescência no Brasil. Dirigiu o documentário aclamado pelo público Muito além do peso, filme no qual mergulha no tema da obesidade infantil ao discutir por que 33% das crianças brasileiras pesam mais do que deviam. Recentemente lançou O começo da vida, documentário que mostra como o relacionamento com a sociedade e o meio ambiente é especial – e essencial – nos primeiros anos de vida.

O atleta e ex-modelo Fernando Fernandes sofreu um acidente em 2009 que o levou a mudar radicalmente a forma de encarar – e viver – a vida. Ficou impossibilitado de andar e passou a se locomover com uma cadeira de rodas. No entanto, o acidente não o desmotivou e com força de vontade superou o ocorrido e encontrou uma nova forma de andar com confiança no mundo. Consagrou-se como tetracampeão em paracanoagem e, em 2013, fundou o Instituto Fernando Fernandes, no qual incentiva pessoas com ou sem deficiência física a terem motivação para reconstruir suas vidas. Mais de 2 mil pessoas já passaram por lá.

O fotógrafo paulistano German Lorca é o último representante vivo da moderna fotografia brasileira. Recentemente, sete das imagens que produziu em 67 anos de carreira foram adquiridas para o acervo permanente do Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMa) e sua próxima exposição individual está prevista para ser realizada no segundo semestre deste ano no Sesc Pompeia (SP). Já fez fotografia social, industrial e empresarial, reportagens, retratos e também publicidade, e especializou-se em fotografar a capital paulista e descobrir ângulos e personagens exóticos da cidade. Aos 94 anos é tido como uma lenda viva e segue trabalhando.

O gaúcho Hans Dieter Temp é administrador e técnico em agropecuária e políticas ambientais e há mais de uma década mostra seu potencial transformador. Ele é o fundador da ONG Cidades Sem Fome, projeto que incentiva o desenvolvimento sustentável aliado à produção de alimentos orgânicos, preserva o ambiente local e gera emprego, renda e educação em comunidades carentes.  Além de hortas comunitárias, a iniciativa de Hans conta com hortas escolares e estufas agrícolas em diferentes comunidades paulistanas. Para os próximos anos, a meta é levar a metodologia de trabalho para o desenvolvimento sustentável de outras regiões brasileiras.

Luiz Alberto Mendes, escritor paulistano e ex-presidiário, é autor de seis livros. Entre suas obras está Memórias de um sobrevivente (Cia das Letras, 2005), produzida enquanto estava preso. Saiu do cárcere em 2004 após cumprir 30 anos de reclusão – havia sido condenado a cem anos – não encontrou emprego fixo e, assim, buscou na escrita uma forma de sustento e redenção. É autodidata, leciona, faz palestras e conduz oficinas de leitura e escrita em penitenciárias, universidades, escolas, empresas e comunidades carentes.

A auditora Marinalva Dantas tem como trabalho e propósito de vida eliminar o trabalho escravo no Brasil. Ela é paraibana de Campina Grande (PB), mas criada em Natal (RN), e já libertou mais de 2 mil pessoas de condições análogas à escravidão – dentre elas, 600 são crianças e adolescentes. Sua trajetória virou a biografia A dama da liberdade (Benvirá, 2015), e o livro reascendeu a discussão sobre o trabalho ilegal e mostrou que a prática abusiva ainda se repete em muitas fazendas do interior do país. Atualmente ela luta para que as leis em relação às condições trabalhistas não sejam afrouxadas e continuem a punir todo e qualquer infrator.

Um encontro entre o administrador paulistano Daniel Izzo, a fundadora da Artemisia (organização pioneira no fomento de negócios sociais no país) Kelly Michel e Antonio Moraes Neto, um dos herdeiros do Grupo Votorantim, culminou no nascimento da Vox Capital, uma empresa pioneira em investimentos de impacto no Brasil. Desde 2009 o trio comanda o projeto que funciona como um fundo independente que investe em empresas que promovam alguma transformação social e não visem apenas o lucro.

A atriz Taís Araújo foi a primeira protagonista negra de uma novela da Rede Globo, mas, apesar da fama, do sucesso e do respeito pelo trabalho que desenvolve na dramaturgia brasileira, não esteve imune aos ataques racistas que recebeu nas redes sociais. Em 2015 decidiu travar uma briga não apenas em nome próprio, mas sim da população negra que sofre preconceito racial no Brasil. Atualmente protagoniza a peça O topo da montanha, sobre a trajetória do líder norte-americano M. Luther King, dirigida e protagonizada também pelo marido Lázaro Ramos.

 

Kátya Elpydio5049 Posts

Criei o Borimbora com o objetivo fundamental de fazer com que você esteja sempre à frente do seu tempo no que diz respeito à comunicação na sua totalidade. Nenhum de nós é TÃO BOM quanto todos nós JUNTOS!

0 comentários

Deixe um comentário

Login

Bem vinda! Entre na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password