Congresso celebra o protagonismo feminino nos 70 anos da UFBA

Através da mesa temática “Mulheres na Universidade- protagonismo feminino e empoderamento nos 70 anos da UFBA”, o Congresso da UFBA dará destaque à contribuição das mulheres para o desenvolvimento da instituição nas diversas áreas do conhecimento, com trajetórias de êxito na gestão, ensino, pesquisa e extensão. Será uma oportunidade também de pautar avanços e retrocessos sobre o direito das mulheres, contrapondo-se ao conservadorismo que insiste em permanecer nos dias atuais. Esse tema esteve presente desde a criação da universidade e envolve questões como a luta pela equidade de gênero e uma sociedade mais justa.

A mesa temática foi proposta pela professora Iole Vanin, que responde pela Coordenação de Ações Afirmativas, Educação e Diversidade da Pró-Reitoria de Assistência Estudantil, e por Suani Pinho, professora do Instituto de Física e chefe do Gabinete da Reitoria. “O objetivo é dar visibilidade a personagens e momentos importantes na trilha do empoderamento feminino na universidade. Discutir a presença das mulheres nas várias atividades profissionais e acadêmicas é uma demanda que fica evidente através das muitas mesas do congresso que serão dedicadas ao tema”, destaca Suani Pinho, que cita o exemplo de estudos sobre a participação feminina nos diversos campos do saber, entre as quais o de Ângela Freire, na Biologia, e de Leopoldina Menezes, na Matemática. Ela, inclusive, é organizadora de livro “Mulheres na Física”, que aborda a presença feminina na área das ciências exatas.

Eliane Azevedo, a primeira reitora da UFBA (1992-93), e Evelina Hoisel, atual presidente da Academia de Letras de Bahia – e também primeira mulher a presidir a instituição, participam da mesa junto com as coordenadoras de três expressivos grupos que atuam na universidade com o foco nas questões de gênero. São elas: Rosângela Araújo, do Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre a Mulher (NEIM); Estela Aquino, do Programa de Estudos Integrado em Gênero e Saúde (MUSA); e Sílvia Lúcia Ferreira, do Grupo de Estudos de Saúde da Mulher (GEM).

A professora Iole Vanin pontua o investimento da UFBA em uma agenda que contempla as questões de gênero e destaca a realização de debates e oficinas sobre o tema, além do apoio a uma série de eventos como o Encontro de Mulheres da UFBA, promovido pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE), e o Março Lilás, que marca o Mês Internacional da Mulher.“É necessário, ainda hoje, enfrentar valores patriarcais que motivam atitudes discriminatórias. Ações de combate ao machismo e à violência contra a mulher são fundamentais. A Universidade tem o papel de fazer o enfrentamento dessa cultura, que acaba se refletindo em todas as áreas”, afirma. 

Durante o encontro, será apresentado o projeto do catálogo biográfico que reunirá os nomes de 70 mulheres que protagonizaram experiências marcantes na história da universidade, desenvolvido sob a coordenação de Maria Hilda Paraíso, diretora da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FFCH-UFBA). O catálogo reunirá 70 verbetes – numa alusão à data comemorativa – para evidenciar as contribuições científicas, culturais e políticas de docentes, funcionárias técnico-administrativas e alunas da instituição.

* Ilustração: retrato da reitora Heliane Azevedo, que se encontra na Galeria dos Reitores, Sala dos Conselhos da Reitoria da UFBA.

 

Kátya Elpydio5049 Posts

Criei o Borimbora com o objetivo fundamental de fazer com que você esteja sempre à frente do seu tempo no que diz respeito à comunicação na sua totalidade. Nenhum de nós é TÃO BOM quanto todos nós JUNTOS!

0 comentários

Deixe um comentário

Login

Bem vinda! Entre na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password